segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O lado negro de Londres

Ouvir histórias sobre alguém ter sido esfaqueado na primeira pessoa é estranho. Perceber como as coisas funcionam em Londres no que toca ao negócio da droga, que não há limites, que vale tudo. Recusar falar com a policia mesmo conhecendo a pessoa que te esfaqueou porque a justiça faz-se de outra forma. Voltar a casa da mãe da pessoa que te esfaqueou com intenção de lhe matar o filho. Encontrá-lo mais tarde e por sorte não o matar.

Histórias de uma realidade que felizmente muitos de nós não conhecemos. Uma realidade que pensamos exagerada em séries de televisão e filmes. Um outro lado de Londres.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Vai mesmo ter de ser...

Hoje tive consulta com o especialista no hospital e já estou na lista de espera para remover as amígdalas. Diz que demora cerca de 3 meses. Agora é esperar a carta com a data em casa.

Tenho a sensação de que me vou fartar de desmaiar com tanta agulha e dores que eu sou uma maricas nessas coisas.

Mas tem mesmo de ser que isto de ter amigdalites todos os meses nao está com nada.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Reencontros

A propósito de uma conversa com a R. enviei mensagem ao D. no inicio da semana. Isto depois de uns três anos sem contacto. Combinámos uma ida ao pub para por a conversa em dia no dia a seguir.

E assim foi no pub do costume perto do meu trabalho. Muita conversa e muitas novidades da parte dele. E recordar os tempos do meu segundo emprego em Londres onde nos conhecemos.

A ver se nao deixamos passar outros três anos.

domingo, 7 de agosto de 2016

Supervisor - Update

Quase um mês depois de ter começado acho que não sou grande fã.

Quando estive doente e enviei a primeira mensagem a dizer que não ia trabalhar nem se dignou a responder. Ao segundo dia respondeu e ao terceiro voltou a não responder.

A juntar a isso tivemos uma reunião só os dois em que ele quis discutir coisas pessoais (cusquices) e que eu feita parva discuti quando devia era ter ficado calada. Mas nada de grave.

E no que toca ao trabalho ele não percebe muito do que fazemos e já nem me parece muito interessado em perceber.